quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O Terço – Parte 08

Em 1994 saiu o disco ao vivo Live At Palace, gravado com a Orquestra Sinfônica Juvenil do Estado de São Paulo, com arranjos do Maestro Rogério Duprat. A formação é a mesma de Time Travellers.

Em 1996 O Terço lançou um CD entitulado Compositores. A formação era basicamente a mesma do álbum anterior e o disco foi composto por clássicos da MPB (além de músicas inéditas de outros compositores), como "Sangue Latino" dos Secos e Molhados. Também há músicas de Ivan Lins e Flávio Venturini.

Em 1998 foi a vez do álbum Spiral Words ser editado. Nele temos Hinds (guitarra, vocal), Edú Araújo (guitarra), Max Robert (baixo), Daniel Baeder (bateria) e Beto Correa (teclados). Outra bela capa, de autoria do também fotógrafo Marcelo Rossi (não é o famoso padre). Segundo Hinds, as letras de Spiral Words são variadas, por isso o nome "Palavras em espiral". Ainda de acordo com Hinds, quando do lançamento do disco, o grupo estava se aproximando do fusion.

Em dezembro de 1998, no Rio de Janeiro, o grupo realizou um show em comemoração aos 30 anos de existência da banda.

Em 1999, André Gonzales assume o posto de Daniel Baeder na bateria e a banda lança Tributo a Raul Seixas, uma homenagem aos dez anos de morte do roqueiro baiano. Depois disso, Edu Araújo deixou a banda e em seu lugar foi recrutado Igor de Bruyn, que também integra o quarteto de cordas Kroma (além da banda Red).
Tal como o King Crimson, os Pretenders e o Van der Graaf Generator, O Terço é um grupo que sempre varia em torno de um membro fixo e uma idéia central, aqui no caso o guitarrista e vocalista carioca Sérgio Hinds.

Fonte: Site da banda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.